Arquivo da tag: Html

Salvar uma apresentação como uma página da Web no PowerPoint 2010

Opções para salvar uma apresentação como uma página da Web não estão disponíveis na caixa de diálogo Salvar como no PowerPoint 2010
ID do artigo: 980553
+Sintomas
Ao tentar salvar uma apresentação como uma página da Web no Microsoft PowerPoint 2010, as seguintes opções de Salvar como tipo não estão disponíveis na caixa de diálogo Salvar como :
Página da Web (htm, HTML)    Página da Web de arquivo único (MHT; MHTML)

+Como Contornar
Para contornar esse problema, você poderá salvar apresentações como um arquivo. htm ou MHT usando o modelo de objeto do PowerPoint. Este método fornece compatibilidade com antigos suplementos e macros.
Você também pode salvar um arquivo como uma página da Web (htm; HTML) na área de trabalho sem incorporar fontes True Type (msoFalse) usando o argumento ppSaveAsHTML para o formato de arquivo htm. Para fazer isso, execute estas etapas:
1. No PowerPoint 2010, abra a apresentação que você deseja exportar para HTML.
2. Pressione Alt + F11.
3. Pressione Ctrl + G.
4. No painel de imediato, digite o seguinte e pressione Enter:

ActivePresentation.SaveAs “<Unidade>:\users\<nome de usuário>\desktop\<nome do arquivo>.htm”, ppSaveAsHTML, msoFalse

ObservaçãoPara salvar usando o formato de arquivo de página da Web de arquivo único (MHT; MHTML), substitua htm no final do nome do arquivo mhte substituir ppSaveAsHTML por ppSaveAsWebArchive.

MAIS INFORMAÇÕES
Para obter mais informações sobre o método SaveAs no PowerPoint 2010, visite o seguinte site da Microsoft Developer Network (MSDN):
Método Presentation.SaveAs (PowerPoint). <http://msdn.microsoft.com/en-us/library/ff746389.aspx>

Para obter mais informações sobre os tipos de arquivos que podem ser passados para o método SaveAs , visite o seguinte site da MSDN:
Enumeração PpSaveAsFileType. <http://msdn.microsoft.com/en-us/library/ff746500.aspx>

+Propriedades
ID do artigo: 980553 – Última revisão: segunda-feira, 25 de junho de 2012 – Revisão: 5.0

A informação contida neste artigo aplica-se a:

Microsoft PowerPoint 2010
Palavras-chave:  kbtshoot kbsurveynew kbexpertisebeginner kbmt KB980553 KbMtptTradução automáticaIMPORTANTE: Este artigo foi traduzido por um sistema de tradução automática (também designado por Machine Translation ou MT), não tendo sido portanto traduzido ou revisto por pessoas. A Microsoft possui artigos traduzidos por aplicações (MT) e artigos traduzidos por tradutores profissionais, com o objetivo de oferecer em português a totalidade dos artigos existentes na base de dados de suporte. No entanto, a tradução automática não é sempre perfeita, podendo conter erros de vocabulário, sintaxe ou gramática. A Microsoft não é responsável por incoerências, erros ou prejuízos ocorridos em decorrência da utilização dos artigos MT por parte dos nossos clientes. A Microsoft realiza atualizações freqüentes ao software de tradução automática (MT). Obrigado.Clique aqui para ver a versão em Inglês deste artigo: 980553

 

Fonte: http://support.microsoft.com/kb/980553/pt-br

 

O que fazer quando os acentos nas páginas não funcionam

por Marcos Elias

Era normal com quem mexia com sites (e ainda é), agora é comum ver isso com quem mexe com blogs, especialmente editando os arquivos de temas, como do WordPress.

A questão é que… Dependendo da codificação usada no arquivo, ela pode ser incompatível com os acentos da língua portuguesa (assim como outros caracteres de outras línguas), visto que no inglês não tem acentos. Então não se pode colocar acentos nos arquivos, por exemplo nos temas do WordPress. Em vez dos acentos, deve-se inserir o código HTML correspondente – sim, cada letra acentuada tem um código.

O formato UNICODE suporta os acentos e uma infinidade de caracteres, mas nem todos os editores oferecem suporte corretamente. Acentuar diretamente na página pode fazer com que ela não seja exibida corretamente se uma tag META informando a codificação usada não for definida na página (falo disso brevemente no final do artigo). Geralmente nos erros de codificação, os acentos serão trocados por caracteres nada a ver, risquinhos, quadradinhos ou caracteteres que lembram idiomas orientais, como japonês, chinês, etc.

Ao editar texto em páginas da web, muitas vezes há a devida conversão ou reconhecimento – por exemplo, ao postar um artigo no WordPress ou no Blogger, você pode digitar diretamente com acentos. Mas ao editar um tema para WordPress, se incluir os acentos, pode ser que na exibição eles fiquem zuados.

Em vez de colocar os acentos, coloque os códigos das letras acentuadas. Há uma tabela aqui:

Letras acentuadas:
http://www.mephost.com/br/dica001_caracteresesp.html

Alguns caracteres especiais:
http://www.mephost.com/br/caracteres.htm

Por exemplo, em vez de colocar á, se coloca &aacute;. Em vez de é, &eacute;. Não estranhe, mas as palavras ficariam assim:

– Coment&aacute;rios
– Experi&ecirc;ncia
– Almo&ccedil;o

Sendo exibidas corretamente no navegador.

Na tabela você pode pegar os códigos para os outros caracteres, e ver como eles se formam (para as letras acentuadas, basta decorar um modelo e trocar a letra que será usada). Alguns editores de HTML visual (como Dreamweaver) convertem automaticamente os caracteres digitados para o código correspondente, mas outros não. Se usar um editor de textos puro, deverá fazer isso manualmente.

O Mep Texto pode substituir todos os acentos por caracteres acentuados indo ao menu “HTML > Converter acentos em código HTML” (só tem um bug ainda não corrigido, ao converter o acento circunflexo no “e”, fica faltando o ponto-e-vírgula final).

Todavia, você pode usar acentos se configurar as páginas para usarem a codificação ISO-8859-1, adicionando isso no header, cabeçalho (entre <HEAD> e </HEAD>):

<META HTTP-EQUIV=”Content-Type” CONTENT=”text/html; charset=ISO-8859-1″>

Em algumas páginas estáticas, isso não produzia efeito comigo (e para os clientes, usuários, não seria agradável ficar escolhendo a codificação manualmente no navegador). Adicionando essas entradas no arquivo .htaccess (no caso de um servidor Apache no Linux), funcionou corretamente:

AddType ‘text/html; charset=ISO-8859-1’ html
AddType ‘text/html; charset=ISO-8859-1’ htm

No entanto, modificar o .htaccess e o cabeçalho do tema do WordPress é bobeira, já que o WordPress é desenvolvido em unicode, tendo em vista plugins e recursos em Unicode. Nas configurações do WordPress pode-se escolher outra codificação, mas é bom usar o Unicode, tomando o cuidado ao editar os temas, preferindo usar os caracteres especiais. Estas duas últimas dicas (de adicionar as entradas no .htaccess ou no <HEAD> da página) são melhores para páginas estáticas..

E para finalizar… Se você está no lado de um usuário, vendo um site com os acentos zuados, nada pode fazer para corrigi-lo no site. Mas pode (pelo menos, tentar) ajustar a codificação no seu programa cliente. Se abrir um site com caracteres problemáticos, experimente usar a detecção automática de codificação, ou então Ocidental (ISO-8859-1) ou Unicode. No Firefox ou no Internet Explorer, pode-se fazer isso pelo menu “Exibir > Codificação”.

Note que alguns caracteres unicode não são suportados por alguns sistemas operacionais (incluindo versões antigas de Windows e o Windows XP, em alguns casos), e outros dependem da existência de fontes de outros idiomas instaladas no seu computador.

 

 

Fonte: http://www.explorando.viamep.com/2008/07/caracteres-especiais-e-codificacao.html